É possível semear milheto antes da cultura do trigo?

Fonte: maissoja.com.br

A rotação de culturas é uma pratica fundamental para a viabilidade de sustentabilidade do sistema de produção, trazendo inúmeros benefícios, melhorando especialmente características estruturais, químicas e biológicas do solo. Entretanto, a rotação de culturas também necessita, ser viável e rentável economicamente.

Outra variável importante no estabelecimento do sistema de rotação de culturas é a utilização da terra, sendo que o ideal é projetar um sistema que contenha o mínimo possível de vazio cultural. Grande períodos de vazios culturais são observados principalmente em lavouras onde são cultivados a soja como cultura principal de verão e o trigo como cultura de inverno, onde não há a adoção de cultivos na entressafra dessas culturas.

Em vídeo, Laércio Augusto Pivetta, professor da Universidade Federal do Paraná e um dos coordenadores do Grupo Supra Pesquisa trata da inserção do milheto (Pennisetum glaucum) após o cultivo da soja e antes da cultura do trigo. Laércio destaca que o sistema soja – trigo não é o mais utilizado, especialmente na região oeste do Paraná, sendo o mais utilizado o sistema soja – milho safrinha – trigo, entretanto, em alguns casos o sistema soja – trigo segue sendo cultivado, o que acarreta um elevado período de vazio cultural entre as culturas.

O professor destaca que uma das alternativas é a utilização de milheto, embora alguns produtores tenham certo receio quando aos riscos do cultivo. Laércio demonstra alguns resultados de pesquisa que apontam que a utilização do milheto antes do trigo pode promover maiores respostas do trigo a adubação nitrogenada e ao incremento da produtividade da cultura, especialmente em anos mais secos.

Cabe destacar que embora a sucessão milheto – trigo não comporte os fundamentos propriamente ditos da rotação de culturas por se tratarem de duas gramíneas, benefícios diretos e indiretos podem ser observados no sistema de produção, contribuindo para o aumento da produtividade do trigo e da soja após o milho, além de contribuir para a cobertura do solo, controle de erosões e plantas daninhas fotoblásticas positivas.

Com relação a produtividade das culturas, Laércio destaca que para as condições observadas em estudos realizados pelo grupo, a utilização do milheto pode acarretar no incremento de produtividade de trigo e soja na ordem de 13 e 14 sc.ha-1 respectivamente.

“A utilização do milheto antes do trigo pode promover maiores respostas do trigo à adubação nitrogenada e ao incremento da produtividade da cultura”.

Conforme destacado por Pereira Filho et al. (2003), o milheto é uma planta que apresenta alta adaptabilidade, sendo um ótima opção para a produção de biomassa na rotação de culturas e períodos entre safras. A produção média de biomassa para o milheto semeado em fevereiro varia de 35 a 55 t.ha-1, já quando a semeadura ocorre em marco a produção de biomassa varia entre 30 e 40 t.ha-1, entretanto a quantidade de matéria verde produzida pode estar relacionada com a cultivar e nutrição das plantas.

Pereira Filho et al. (2003) enfatizam que para a semeadura da cultura variando entre janeiro a abril, com a finalidade de cobertura do solo, quanto mais sedo realizada a semeadura dentro desse período maior a produção de massa de grãos, já quanto mais tardia a semeadura, menor a produção de massa verde a grãos. Clique aqui e confira o material disponibilizado pela Embrapa que trata do manejo cultural do milheto.

Sendo assim, o planejamento do sistema de produção é fundamental para a maximização do uso da terra e redução dos períodos de pousio. Culturas como o milheto podem trazer benefícios diretos e indiretos para culturas comerciais de inverno e verão, contudo não á a única opção. Dessa forma é essencial buscar a diversificação dos cultivos, visando a sustentabilidade e rentabilidade de produção.

Confira o vídeo abaixo com as dicas do professor Laércio Augusto Pivetta.