Registro da lavoura no final de novembro mostra bom desenvolvimento da lavoura feita para a solenidade (Débora Fabrício/Canal Rural)
Registro da lavoura no final de novembro mostra bom desenvolvimento da lavoura feita para a solenidade (Débora Fabrício/Canal Rural)

Está quase tudo pronto para a Abertura Oficial da Colheita de Soja da Safra 2014/2015. O evento realizado pelo Projeto Soja Brasil acontece na tarde do dia 29 de janeiro e terá transmissão ao vivo do Canal Rural e do C2 Rural.

A lavoura que receberá a solenidade, localizada na fazenda Sementes Adriana, em Alto Garças, no sul de Mato Grosso mostra bom desenvolvimento. São 45 hectares de soja, que recebem toda tecnologia de manejo disponível no mercado. Começando pelo tratamento da semente.

– São realizados dois tratamentos: o on farm e o tratamento industrial. Este último vem agregar hoje mais na semente, tem maior número de ingredientes ativos por semente, consequentemente a lavoura será mais uniforme e com mais produtividade – explica o técnico da empresa Basf Hugo Garcia Diogo.

A variedade escolhida é lançamento de mercado, com uma combinação de duas tecnologias na mesma cultivar. A Intacta RR2, resistente às principais lagartas, e a Inox, que tem tolerância ao fungo da ferrugem asiática. O ciclo é superprecoce, com ciclo de 100 dias. Tudo para garantir que a lavoura esteja pronta para o evento.

– A gente está acompanhando nos últimos anos que existe uma migração da soja de ciclo mais tardio para ciclos mais precoces, pensando em possibilitar uma segunda safra. Além disso, diminuir a exposição a pragas e doenças. Os produtores buscam matérias de ciclo mais curto e com potencial produtivo mais amplo – comenta o gerente técnico da Sementes Adriana Douglas Rotta.

A uniformidade da lavoura é visível. A cultivar tem uma arquitetura que traz algumas características que facilitam o manejo.

– Ela é de um material que suporta populações altas, pelas características dela ser altamente tolerante ao acamamento, é uma planta que engalha menos e, em função disso, permite a penetração de calda, fazendo controle de pragas e doenças. Além de melhor aproveitamento de energia solar – pontua Rotta.

A lavoura foi preparada seguindo as recomendações técnicas ideais para proteger a tecnologia Bt. 20% dos 45 hectares são de refúgio sanitário. Dentro da realidade desta fazenda, a opção dos técnicos foi fazer uma faixa para fechar nove hectares com uma variedade sem resistência às lagartas.

– Não só Intacta, mas como em qualquer cultivar Bt é necessário o refúgio. Com o aumento das áreas com Bt no campo, esperamos que deixe de ser uma obrigação para que o refúgio seja uma cultura de conscientização para que a tecnologia dure mais – afirma a representante da Monsanto Ana Paula Luques.

O clima também está colaborando para o desenvolvimento da lavoura que vai marcar o início da colheita da safra 2014/2015.

– Nós ficamos muito honrados de poder participar de um evento com abrangência nacional e poder sediar na nossa empresa – comemora o diretor técnica da Sementes Adriana.

 

Fonte: Projeto Soja Brasil, em 29/12/2014.

Grupo Atto
Grupo Atto
Grupo Atto
Grupo Atto
Grupo Atto
Atendimento Online